18 de abril de 2010

EBG- Estação Biológica do Garducho


A Estação Biológica do Garducho, por muitos conhecida como o "Hospital dos Pássaros", é aquele grande edifício que fica do lado direito da estrada quando vamos para Valencita. Este fim-de-semana participei nas actividades desenvolvidas pelo CEAI (Centro de Estudos da Avifauna Ibérica) que lá decorreram, logo tive oportunidade de visitar e ficar a conhecer um pouco mais sobre o próprio edifício e o seu funcionamento. Apesar do seu aspecto de um "Mamarracho", na minha opinião é um edifício fantástico, e quando o digo, é em todos os aspectos. Desde a localização, à construção, dos materiais ás vistas.
É auto-suficiente em todos os aspectos:
  • Água; tem um sistema que reencaminha toda a água da chuva para uma cisterna onde é armazenada.
  • Energia; é conseguida através de uma pequena estação fotovoltaica instalada no terraço.
Todas as divisões do edifício estão devidamente isoladas com placas de cortiça para manter a temperatura consoante as estações do ano, no Inverno é quente e no Verão é fresco.
Na Estação Biológica do Garducho, vai existir uma exposição permanente, muito didáctica, sobre os habitats da zona, em que os visitantes podem tocar no material exposto (esqueletos, penas, ninhos etc),enquanto pesquisam informação sobre o mesmo. Há uma sala onde se podem organizar todo o tipo de reuniões,uma sala de investigação e um laboratório, sem esquecer que há condições para hospedar cientistas e investigadores, pois a estação dispõem de uma zona com 3 quartos individuais, 2 camaratas, cozinha, sala de estar e casas de banho. Na zona superior encontram- se um jardim de plantas autóctones, vários passadiços, varandas e janelas de onde se pode observar a fauna e flora das nossas paisagens alentejanas. Tudo sobre a EBG está AQUI


Estação Biológica do Garducho


Sala de Reuniões/Exposição



Material biológico exposto

Material biológico a aguardar tratamento no laboratório


Zona dos dormitórios


Jardim na zona superior

Fonte de energia solar

Terraço/Passadiço/Janela



1 comentário:

  1. Deve ser muito bonito mesmo, tão perto de nós e tão longe ao mesmo tempo, pois não fazia ideia que fosse assim, e como eu muita gente pensará o mesmo. Tenho de ir visitar.

    ResponderEliminar